7 oitavos

7 mulheres ou 7 meninas
Muitas idéias e pouquíssimo pudor

7 oitavos com rendinha se preferir

22:56

Um amor por inteiro

postado por 7 Oitavos |

12 de dezembro de 2009.

Imaginem a seguinte cena:

Duas pessoas sendo apresentadas.

Ela diz:

- Prazer, Cassiana
vai firme dar 3 beijinhos.

Enquanto rola os 3 beijinhos ela diz:
- 3, porque eu quero casar.

ELE
- Mas eu não quero.

Uiiiiiiii..delicado igual a uma vaca voando.

Bom, foi assim que tudo começou.
Jantar com um grupo de amigos. Naquela noite, um dos casais resolveu levar um amigo para apresentar ao restante do grupo. Até ai tudo bem, mas alguns pontos devem ser destacados:

1) Eu: solteira
2) Ele: solteiro
3) Eu: a engraçadinha do grupo
4) Ele: sem esboçar qualquer identificação com pessoas engraçadinhas
5) Eu: falando de futebol
6) Ele: desconfiado


Fora estes 6 pontos, algo muito mais forte mexeu com o grupo naquela noite: o novo amigo é cadeirante.

Bom, o grupo estava meio perdido, afinal era uma situação nova pra gente. Eu tinha vergonha de olhar pra baixo, pois ele poderia achar que eu estava olhando para a cadeira. Então, tentava me concentrar em olhar pra cara de todo mundo.

Ele não ria muito.Na verdade, era bem na dele. Eu fiquei meio desconfiada, achando que ele não estava curtindo muito aquilo tudo.
Fui embora com a impressão de que não veria mais ele.


Ilusão.

No decorrer daquela semana, o grupo trocou muitos emails, incluindo o novo garoto.
Pareceu mais simpático e até entrou nas brincadeiras e fez piadinhas.

No outro sábado, lá estava ele, na minha casa, jogando imagem&ação com os meus amigos.
Nascia naquele momento uma bela amizade entre o grupo e o novo amigo.

Os encontros eram semanais. Quase sempre o grupo se reunia no sábado e no domingo.

Bom, os amigos logo começaram com piadinhas, afinal nós dois nos falávamos com bastante frequência via telefone e torpedos.

Eu não tinha o menor interesse nele e nem ele em mim.
Achava ele inteligente e bonito, mas eu acho muitos meninos inteligentes e bonitos e nem por isso sinto vontade de ficar com eles.
Ele me disse um tempo depois, que no primeiro encontro estava desconfiado de mim. Não estava acostumado com uma menina que fosse tão despojada,  que falasse de futebol e fosse tão espontânea. Achou que eu estava interpretando.....huahua (logo eu né? Mas ok)

2 meses depois, nós nos falávamos quase todos os dias e meus sentimentos haviam mudado.

Vocês devem estar se perguntando: ta, mas pera ai, tu disse que o cara é cadeirante ou me enganei?

Não, estão certos. Ele é paraplégico.

Whatahell??

Gente, isso era só um detalhe.
O fato é que eu estava muito envolvida, mas não sabia se ele estava. Às vezes eu achava que sim, mas na maioria das vezes tinha certeza que não.

Pensava muito no que fazer. Se eu falasse pra ele que estava afim e ele não estivesse, seria difícil e não queria correr o risco de perder a amizade dele. Foram longas noites pensando no que fazer e optei por não falar nada.

Todo mundo me perguntava se estava rolando algo e poucos acreditavam que não.

No dia 4 de março a 00:38 recebo um torpedo dele que dizia mais ou menos assim:

"estive pensando em te convidar para muitas coisas no fim de semana: hipódromo, cinema, shopping"

Quando eu li isso, gelei. Deu um frio na barriga que nunca havia sentido.

Então pensei:
"Será que ele mandou para a pessoa certa?"
Respondi assim: tu tá bêbado?

Preciso dizer que nunca rezei tanto para que ele não tivesse se enganado.

E ele não estava bêbado e muito menos havia se enganado.

No dia 6 de março aconteceu o primeiro encontro oficial. Nós nunca ficamos, nós namoramos desde o dia 6.


Maria Gadú canta as seguintes palavras na sua música intitulada Encontro:

"sai de si..vem curar teu mal...te transbordo em som, põe juizo em mim
Teu olhar me tirou daqui..ampliou meu ser..quero um pouco mais, não tudo, pra gente não perder a graça no escuro, no fundo
pode ser até pouquinho, sendo só pra mim sim...

.....deixa estar que o que for pra ser vigora, eu sou tão feliz, vamos dividir os sonhos?
“Que podem transformar o rumo da história...”


Essa é a nossa música e define o que sentimos com uma maestria genial.


Ok, bem legal, lindo isso tudo, mas e a paraplegia?
Hehehe...explicarei.

Quando conheci ele, isso me abalou muito.
Ele tem 33 anos e é paraplégico há 9. Não tem como não se sentir emocionado em ouvir a história. Principalmente por ele ser um homem extremamente ligado ao futebol. Antes do acidente, era um excelente goleiro (é o que garante o melhor amigo. E eu não duvido). Daqueles que joga todo domingo por puro prazer. Ele transpira futebol, é emocionante.

E eu logo comecei a pesquisar sobre paraplegia, afinal queria entender melhor a vida que ele tinha. Mas como ele mesmo diz "pergunte pra mim, eu sou a fonte primária"....hehehe e ele responde tudo o que eu pergunto.

Ele é totalmente independente. Trabalha, se formou em direito em janeiro deste ano, dirige (o carro é adaptado gente. Controla tudo com as mãos), vai ao Beira-Rio dia sim outro também, cinema, barzinho...enfim, leva uma vida normal.
Sim, ha limitações, mas ele normalmente contorna e isso é impressionante.

Eu olho pra ele e não consigo ver a cadeira, eu só vejo ele. Um homem extremamente atraente e confiante, que sabe exatamente o que quer e para onde vai.
Não ha como não se sentir segura estando com ele.

Ok, mas e o sexo? Afinal, como ele mesmo diz "não existe casal sem sexo". E não existe mesmo. Casal sem sexo é amigo.
Paraplégicos fazem sexo. Normalmente. Quando eu digo normalmente é igual a um homem não paraplégico. Incrível? Eu sei, eu sei...é amigo..é copa do mundo...hehehe.

Aprendi muitas coisas nos últimos meses que não vivi e aprendi em anos.E posso dizer que nunca fui tão feliz. Simplesmente é incrível.

Hoj,e se você convidar o casal aqui para ir ao cinema, a primeira pergunta eu que eu vou fazer é: tem acesso para cadeirantes?
Sim, as coisas mudaram e pra melhor. Isso agora faz parte da minha vida, e não é por obrigação, é algo extremamente natural.

Pensei em várias maneiras de terminar este post e nada mais justo do que dedicar ao homem que eu amo e que tem me feito feliz.

PA, teu olhar ampliou meu ser. Eu amo te amar











Cas

obs: nós estamos fazendo o álbum da Copa. Se alguém quiser trocar figurinhas, deixe recado..hahaha (Viu amor? Eu sou visionária. Usando a internet para completarmos os álbuns)

9 comentários:

Buki disse...

Cassi... que lindo teu post...
nossa, faz tão pouco tempo que a gente se viu e tanta coisa ja mudou na tua vida! pra Melhor, como vc disse... fico muito feliz por ti!
bjoos e saudades

lyse disse...

Cassi, parabéns. Fiquei emocionada, ele é um gato (com todo respeito).
Aproveita cada segundo..amam profundamente e te diverte intensamente.

Pimme disse...

guriasss..obrigada pelos comments.
É mto bom poder dividir a minha felicidade com os outros :D

Capitão Nascimento disse...

Li o texto. Excelente! Transparece muitas coisas: maturidade, felicidade e amor verdadeiro.
Meus parabéns!

Lunna disse...

Cassi muito linda a história de vocês, merece um livro mais pro futuro, só não digo novela pq já tem o Jorrrrge ! Essas histórias que fazem com que a gnete volte acreditar que o amor verdadeiro existe.

Muita felicidade pros dois!!

Loira disse...

Pimme, tua vida é cheia de histórias loucas e engraçadas e esse teu novo amor é, com certeza, a tua cara!

E sei que ainda virão muitas histórias boas de se ouvir desse casal!

Felipe disse...

Cassi,
Estava lendo o post e imaginando se era realmente você ou alguma ficção. Quando falou em futebol e ser a engraçada da turma, te reconheci na hora. hehehe
Linda história e meus parabéns! Você merece.
Felicidades para vocês.
Grande beijo.

Felipe (Gvdadsa) ;)

Cris disse...

Cassisleine, que lindo!
Esse é o mesmo que tu contou lá na onda, né? Só te desejo o melhjor, tu sabe!

Muita felecidade pra vcs!

natalia disse...

Poxa, lindo este post, e o melhor de tudo: é real. Desejo toda a felicidade do mundo pra vocês! =)

Subscribe